segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Aquele menino


Recordo-me muito bem daquele menino
Tão puro e inocente
Dono de um sorriso tão contente
Tão doce que não caberia em um sorriso só
Eu sei que tive de ir e não tive tempo de me despedir
Ficarei com saudade daquelas coisas que ele não pôde me dizer por falta de tempo
Vi nele uma beleza rara, própria da sua idade
Vê-lo fingindo dormir foi engraçado
Mas na hora da minha partida o seu sono era real
Não sei se um dia poderei encontrá-lo novamente
Só sei que se não fossem algumas fagulhas a nossa amizade perduraria
Desejo que ele cresça bem
Sei que em breve ele será um grande homem
Pois já é um grande menino
E que muito tem a ensinar

Nenhum comentário: