quarta-feira, 7 de janeiro de 2009


Ele pensava que estava confuso com suas próprias idéias, mas com um pouco mais de tempo, viu que seus pensamentos o conduziam a um mundo de conexões tão complexamente absurdas que ele quis urgentemente e desesperadamente poder não mais pensar nas coisas que profundamente o machucavam. Ele quis e pediu para não ver a realidade crua e sangrenta, aquela realidade que possuía uma moto-serra que dilacerava seus sonhos de felicidade. Ele desejou dormir por toda a vida, para quem sabe, poder sonhar com campos floridos e cheirosos, mas o que existia a sua volta eram pessoas que não sabiam do significado da bondade. Ele quis muitas vezes pintar de azul o amor, mas o amor que os outros não lhe davam não podia ser pintado. Ele chorou, porque viu um mundo cinza e desbotado. Ele quis sonhar, mas o sono não veio. Então apelou para o sonho eterno.

2 comentários:

Marina disse...

O.O que texto tristi... as vezes a gente se sente assim né?? Mas isso não é motivo pra apelar para o sonho eterno...

Que Deus te abençõe

Paz e Bem
Marininha

Evaniele Oliveira disse...

certemante, acho que não é moivo!
a vida é linda!
Pena que tem gente que pensa assim, mórbidamente.
é triste...
valeu Marina!