quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

O amor segundo Eva


- Eva, eu gosto de você.
- Mas Adão, gostar a gente gosta de qualquer coisa.
- Então, o que você quer de mim?
- Nada. Definitivamente nada que você possa me dar. Essa sua própria pergunta já anula qualquer possibilidade de resposta.
- Como ficamos então?
- Não ficamos. Tendo em vista que eu não aprecio o que é incompleto, terminamos essa relação que jamais teve início e meio, mas que desde sempre esteve fadada ao fim.
- Não me dá nem o direito de tentar?
- Mas você tentou, Adão. E eu fui testemunha de seu esforço. Porém, não se tenta amar alguém, ou ama ou não ama e ponto. Como o céu que já nasceu pronto.
- Se eu pudesse escolher eu teria amado você.
- Pois eu não. As escolhas da razão jamais alcançam o coração. Mas... Se eu pudesse de fato escolher, não teria amado você.
- A quem teria amado, Eva?
- A mim, Adão. Eu teria amado a mim.
Por Carolina Braga 28.01.09

Um comentário:

Nilson disse...

Fiquei com peninha da Eva, ela devia sentir mais o amor, o amor incondicional, o amor que não tem alvo nem destino... Enfim, quando se ama, quando se ama muito, vc passa a amar cada bobagem,...nesse estágio, amar outra pessoa é a coisa mais fácil, basta ter um fiozinho de amor do outro lado e vc já é bombardeado com aquela vontade de amar sem fim a outra pessoa. De fazer dela a pessoa mais amada do mundo.

Enfim, fico peninha também do Adão, se ele está nesse estado de espírito, amando muito, provavelmente ela já ama a Eva tanto.., e deve ficar sentindo esse amor transbordando dentro do seu coração só esperando pra sair e inundar o mundo... Fico com pena pq ele tá sozinho com a Eva no paraíso, e com a Eva se fechando pro amor, ele não tem outra alternativa a não ser esperar que um dia ela venha a se abrir pro amor dele.